GAMBCODES

Dicas sobre hospedagem de sites para pessoas 100% leigas

Dicas sobre hospedagem de sites para pessoas 100% leigas

MTICresce o número de empresas que vendem seus serviços de hospedagem de sites e o número de pessoas interessadas em ter um espaço na WEB para divulgar suas idéias, empresas, produtos, serviços,etc.

Muitas pessoas que se aventuram nessa nova “grilagem” moderna digital e virtual, possuem apenas noções básicas (ou nem isso) sobre como funciona a toda poderosa e onipresente INTERNET; geralmente, completamente leigas, contratam os serviços de hospedagem sem ao menos saberem por onde começar: desconhecem o registro de domínios (nome do site), como fazer para se obter um nome/domínio do site que elas tem em mente; como publicar o site ou como fazer o site: é aí que começam os problemas entre contratantes de hospedagem e as empresas.

Antes de se adquirir um serviço de hospedagem, é melhor definir o nome do site e pesquisar para verificar se alguém no mundo já obtem os direitos sobre o nome (domínio do site) para evitar problemas dos mais variados tipos.

Algumas empresas fazem o serviço de registrar o domínio para o cliente, porém, essa opção não é interessante pois a administração do domínio fica restrita à empresa, tendo o dono do domínio depois ter que solicitar o controle total sobre o nome do site.

Escolhido o nome do site, a pessoa deve REGISTRAR esse nome: aqui no Brasil, domínios que terminam com .COM.BR são registrados no site: http://registro.br/ página em que o usuário pode pesquisar para saber se alguém já registrou o nome do site.

O registro funciona assim: uma vez definido o nome, preenchidos os dados necessários (CPF/CNPJ,etc) dependendo do período escolhido, a pessoa fica de posse daquele nome por um determinado tempo e ao fim desse período, deve RENOVAR seu direito de continuar usando o nome. Segue link do registro.br explicando melhor: http://registro.br/ajuda.html?secao=tutoriais

Depois,já com o domínio registrado, a pessoa deve escolher um plano de hospedagem entre as várias empresas do mercado e  caso seja uma pessoa 100% leiga e que não pode se dar ao luxo de contratar um webdesigner, verificar se o serviço que ela vai adquirir disponibiliza uma plataforma de “criação de sites” (do tipo arrastar e soltar) própria para usuários leigos em programação e desenvolvimentos de sites e o suporte adequado para “ensinar” passo à passo a utilização da plataforma…

Outro ponto desconhecido de quem é leigo e contrata hospedagens, é o famoso DNS: Domain Name System: o dono do dominio deve verificar se a empresa que disponibiliza a hospedagem é quem faz o apontamento para seus servidores ou se o próprio titular é quem faz isso.

Segue link sobre informações sobre DNS: http://www.abusar.org.br/ftp/pitanga/Intranet/dns1ppt.pdf.

Mas afinal, como funciona esse negócio de “hospedagem”? A empresa de hospedagem fornece o equipamento físico (servidores conectados à WEB) para que o dono do site armazene seus arquivos e publique seu site; a empresa de hospedagem se compromete à zelar pelo bom funcionamento de seus equipamentos e processos que possibilitam a publicação das informações do site. O contratante (dono no domínio/site), por sua vez, é o responsável pelo conteúdo e alterações de seu site, geralmente, as empresas de hospedagem não prestam suporte à programação e desenvolvimento de sites; o suporte é voltado mais para a detecção e correção de falhas nos servidores de hospedagem ou nos softwares como por exemplo, plataformas disponibilizadas pela empresa para a criação de sites simples, requisições de alterações ou dúvidas sobre diretivas e informações dos servidores de hospedagem entre outras ações.


O ideal mesmo, é que a pessoa leiga que pretende adquirir um domínio para publicar um site, entrasse em contato com profissionais das mais diversas áreas antes de adquirir um domínio e um serviço de hospedagem: profissionais de marketing podem ajudar muito na escolha do nome/marca do site; webdesigners saberiam exatamente qual a plataforma ideal para o tipo de ideia que se pretende divulgar, por exemplo: às vezes a pessoa quer disponibilizar em seu site um serviço de banco de dados ou sharepoint e dependendo do tipo de sistema operacional do servidor de hospedagem contratado, o serviço pode não funcionar do jeito que se pretende ou sequer funcionar; a ajuda de um desenvolvedor de sites também é muito importante antes de se contratar uma hospedagem: plataformas de criação de sites simples do tipo arrastar e soltar são eficientes para se criar sites simples, mas se a pessoa tem a pretensão de deixar uma marca na WEB, somente um desenvolvedor profissional será capaz de criar um site “que passe a imagem, a ideia, da pessoa, da empresa que é dona do site.

Bem, espero que esse breve post tenha tirado algumas dúvidas daquelas pessoas que ainda possuem algum receio de se ter um site e sirva para estimular pesquisas em fontes mais completas e que isso, ajude os milhares de técnicos de suporte de hospedagem de sites, que “de vez em sempre” atendem pessoas nervosas, que são gente boa mas que são  100% leigas e inocentes sobre como funciona uma hospedagem de site e  que acabaram de contratar um serviço de hospedagem e furiosas ligam para o suporte gritando: “Contratei a hospedagem dias atrás: cadê o meu site? Como eu faço para o meu site aparecer? Como é que eu faço e mando meu site para você mostrar ele na internet???”.

Homero H Oliveira 2014




Comments

comments

Categories:   Uncategorized

Comments